Newsletter

Instituto Farol


Edição 3 - Setembro/2019


Seja Bem Vindo

ao Mundo Farol

Somos um Centro de Excelência e Inovação no Tratamento do Autismo Precoce.

Nosso objetivo é auxiliar o progresso científico e clínico referente ao tratamento do autismo infantil no Brasil.

Inclusão Escolar e a Alfabetização Escolar

A alfabetização pode ser definida como processo de aprendizagem das habilidades da leitura e da escrita. Saber ler e escrever é um direito de todos e está previsto na Lei 13.696/18, que institui a Política Nacional de Leitura e Escrita.


Essa lei objetiva garantir a universalização do direito à essas habilidade, além do ao acesso aos livros, à literatura e às bibliotecas. Entretanto, é frequente que crianças com autismo tenham esse direito negado devido aos seus déficits de socialização e de aprendizagem.


Dessa forma, é preciso questionar a pedagogia tradicional e repensar as formas convencionais de ensino, uma vez que nossos pequenos precisam de adaptações para o desenvolvimento do processo de aprendizagem.


Faz parte do processo de inclusão escolar o planejamento de estratégias de ensino adequadas para a criança com autismo. E não existe nenhuma receita de bolo.


É necessário realizar uma avaliação psicopedagógica, de forma a investigar a maneira que a criança aprende e também suas habilidades como: percepção, emoção, linguagem, comunicação, cognição, motricidade e também o perfil comportamental.


A partir da percepção das potencialidades e dificuldades da criança é necessário o desenvolvimento do PDI (Plano de Desenvolvimento Individual ) do aluno. O PDI é um instrumento para adaptar o currículo da escola regular às necessidades específicas da criança.


Essa ferramenta permite que o desenvolvimento seja comparado de forma ideográfica, ou seja, comparando o desenvolvimento do aluno com ele mesmo.


Crianças com autismo processam a informação de maneira distinta das crianças típicas, dessa forma, é preciso utilizar algumas estratégias de ensino que se adequem à forma de aprender da criança.


Por exemplo, alguns alunos respondem melhor a estímulos visuais, dessa forma, inserir pistas com imagens torna-se um recurso essencial para seu aprendizado.


Vamos elucidar abaixo outras estratégias que podem auxiliar na alfabetização de crianças com autismo:


-> Diminuir o tamanho das frases. Opte por dar instruções simples e curtas. Crianças com autismo apresentam déficits na comunicação receptiva. O uso de instruções verbais longas, metáforas ou ironias dificultam o processo de compreensão da tarefa.


-> Organizar os estímulos da atividade. Muitas figuras juntas e imagens pequenas não contribuem para o processamento da informação. Dessa forma, é necessário adaptar a atividade para que fique claro qual o objetivo e o que deve ser feito.

-> Utilizar fontes de escrita coloridas, de forma que chamem atenção. Ou utilizar, até mesmo, letras e números de EVA.


-> Parear imagens com palavras, por exemplo, a imagem de um pato com a palavra PATO, ou somente a primeira letra (P) ou sílaba (PA).


-> Utilizar texturas diversas. Expor o aluno a diferentes estímulos auxilia no processo de aprendizagem, por isso, uma dica é fazer letras com materiais distintos, areia, lixa, massinha e outros.


-> Explorar jogos concretos. Letras móveis de madeira, fichas plastificadas e lupas para foco auxiliam no aprendizado.


De maneira geral o código linguístico é constituído por signos arbitrários, construídos socialmente. Assim, o processo de alfabetização torna-se fundamental para que o sujeito consiga interagir na sociedade, utilizando os códigos para transmitir uma ideia ou um ponto de vista.


Através da alfabetização é possível enxergar a criança com autismo como ser biopsicossocial, capaz de analisar crítica e reflexivamente a sua realidade e, além disso, moldá-la. (SHIBUKAWA; CAPELLINI, 2013)


Referências



BASTOS, Marise Bartolozzi. Tratar e educar: escrita e alfabetização de crianças com Transtorno do Espectro Autista (TEA). Concepções e proposições em Psicologia e Educação. Clique aqui

Cartilha Autismo & Educação | Autismo e Realidade. São Paulo. 2013. Clique aqui

FREIRE, Paulo. Política e educação. São Paulo: Cortez Editora, 1993.

LUDKE, Jacqueline Prates Rocha. Autismo e Inclusão na Educação Infantil: um estudo sobre a crença dos educadores, 2011. Disponível em: Acesso em 20 mar 2012. Política Nacional de Leitura e Escrita. Clique aqui

SHIBUKAWA, Priscila Hikaru; CAPELLINI, Vera Lúcia Messias Fialho. O Autismo e suas Especificidades Refletidas no Processo de Alfabetização e Letramento em uma Escola de Ensino Fundamental Ciclo I. Educere. Curitiba. 2013. Clique aqui

SOUZA, Maria Eduarda da S.; MARQUES, Tayna Lurdiane; PEREIRA, ngela Mª Almeida. A Alfabetização de Crianças Autistas através da Ludicidade. Conedu. Clique aqui



Nosso canal do

YouTube

com conteúdos

semanais!


Acompanhe nossas redes sociais e fique por dentro das novidades no mundo Farol

Instagram

Facebook


Agenda de cursos

Data/Local/Curso

21/09 - Manaus - Estratégias de Ensino Naturalistas 22/09 - Manaus - Gestão de Comportamentos Inapropriados 28 e 29/09 - São Paulo - Aprofundando os Estudos no Autismo 05/10 - Florianópolis - Estratégias de Ensino Naturalistas 06/10 - Florianópolis - Gestão de Comportamentos Inapropriados 26 e 27/10 - Belo Horizonte - Aprofundando os Estudos no Autismo 23/11 - Belém - Estratégias de Ensino Naturalistas 24/11 - Belém - Gestão de Comportamentos Inapropriados


Avenida Pequeno Príncipe, 1482

Campeche, Florianópolis/SC

Brasil